sábado, 27 de fevereiro de 2010

Girls Girls Girls

Algo que me tira do sério é aquele visual que só as gurias góticas e/ou “metálicas” conseguem (re)produzir. Maquiagem, sobrancelhas, coturnos, saias, vestidos, meia arrastão e tudo o mais, como tachas, pulseiras, brincos, colares, ...
[Suspiros]
Mas ao mesmo tempo em que seduzem, também se queimam.
Ao cruzar com uma guria dessas pelas ruas, não sei o que se passa pela cabeça delas, mas fazem cara feia (pra mim é sinal de fome ou algum distúrbio intestinal) e fazem de conta que não me viram. Será que elas possuem um pacto secreto de fazer cara feia pra todo mundo??? É incrível como estão com aquele semblante carregado, bicudas e afins.
Das duas, uma: ou acham legal esse tipo de atitude (“Olha como eu sou má!”) ou estão desanimadas com a vida (provavelmente por causa de algum namorado acéfalo). Volto a dizer que sou mais eu e muito mais eu.
Apesar de andar quase que o tempo todo com roupas pretas e continuar sendo um admirador fiel dessas gurias, desencanei delas (exclusivamente no quesito “visual”) pela necessidade de ampliar meus horizontes, sair do lugar comum. E só tenho a ganhar.
Posso dizer sem qualquer sombra de dúvida que, mesmo tendo sido alérgico ao modo de vida das pattys, hoje sou um fã delas (O feitiço virou contra o feiticeiro, literalmente!). Elas sorriem, se perfumam e fazem mais um monte de coisas que as “metal girls” não fazem. Quer algo melhor do que uma guria que se arruma toda pra sair com vc? Não existe.
Ok, não sejamos injustos. As “metal girls” tbm fazem um monte de coisas divertidas que as pattys não fazem, como te acompanhar nos shows, nas brejas, arrotar em público (aceitável apenas em algumas ocasiões) e falam um monte de palavrões.
Quanto às carrancudas de plantão, vão passear com seus namorados bêbados, retardados, sem um pingo de cultura e que em nada acrescentam, pois vocês se merecem.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Detalhes 4



quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

I Can´t Stop Lovin´ You

Ainda vou publicar aqui um best of do Van Halen, mas por enquanto vai este videozinho pra animar. Uma das minhas músicas preferidas e me faz refletir...

O título diz tudo. ;)

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Citações

Vi estas citações em um livro que estou lendo e as achei bastante interessantes.

"O Jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter"
Cláudio Abramo

"Aquilo que escuto eu esqueço,
Aquilo que vejo eu lembro,
Aquilo que faço eu aprendo"
Confúcio

"A ética é a obediência ao que não pode ser obrigatório"
Rushworth Kidder

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Rock Malária






[Sim, essa foto já havia sido postada anteriormente, mas agora resolvi postar a fotoreportagem na íntegra]



[Motorocker]
[Tendência Rock Fest - Nov/2009]
[Todas as fotos são de minha autoria - Direitos Reservados]

Salve a Malária
Eu tbm sou Malária
Salve a Malária
Longa Vida e saúde pra essas tralhas!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Headlong

Uma musiquinha pra (tentar) animar...

Tédio

Como um rolo compressor vindo em minha direção.
É assim que estou me sentindo hoje:
Angustiado, desmotivado.
Entediado.

Vernáculo

Independente de para qual veículo de comunicação se destine o texto (notícia, fofoca, receita de bolo, etc), se há algo que os professores da faculdade insistem em bater na mesma tecla é com relação à simplicidade. Não somente os professores, mas os veículos também exigem (ressalvado o tipo de público alvo a que almejam alcançar).
Por um lado não tiro a razão deles, afinal o sucinto se faz necessário para que o cidadão comum entenda a mensagem que chega até ele.
Por outro lado acho completamente plausível e justificável o uso rebuscado do vernáculo como forma de aprimoramento do idioma, além de forçar a população em geral a desenvolver um pouco mais sua massa encefálica.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Detalhes 3


sábado, 20 de fevereiro de 2010

Xenofobia?

Já faz algum tempo que observo aquelas placas publicitárias que ficam sobre as placas com os nomes das ruas. Uma das que mais me chamou a atenção foi a de uma imobiliária com os dizeres “Alugue para estrangeiros”. Por que raios as pessoas acham que alugar um imóvel para um estrangeiro é melhor do que para um brasileiro? Preconceito para com o próximo, puro e simples. E ignorância! Prefiro mil vezes ajudar um conterrâneo, um brasileiro como eu, do que um estrangeiro.
No país deles, quando precisamos de alguma informação ou ajuda, eles não dão a mínima, fingem que não te entendem e ainda apontam a direção errada. A gente, um bando de trouxas, faz até mímica para eles chegarem em segurança aonde querem ir.
Pois bem, ao olhar a tal placa, lembrei daqueles alemães que trocaram de roupa, na maior cara de pau, no meio do saguão do aeroporto de Salvador (?) no ano passado. Definitivamente eles acham que aqui é a casa da mãe Joana e isso, em parte, é culpa nossa. Ou melhor, a culpa é do Governo Federal, que não faz nada a respeito e não tem pulso firme com as questões dos turistas estrangeiros e imigrantes.
Se a situação fosse inversa, um brasileiro trocando de roupa no saguão de algum aeroporto da Europa, por exemplo, num primeiro momento diriam que somos um bando de índios e, na sequência, nos deportariam com o visto cancelado. Ou se resolvemos nos mudar para algum país do velho continente ou para os EUA, o visto de permanência é negado e muitos recorrem aos meios ilegais. Se formos pegos, somos humilhados e deportados.
Já no Brasil as coisas são diferentes, quem quiser é só chegar e ficar. “Bora pro Brasa, galera. Lá é susse. É terra de paz, amor e liberdade”. De tempos em tempos o nosso “querido e amado” Governo Federal (sim, estou sendo irônico e sarcástico) dá anistia a essa cambada e fica tudo certo. Eles podem tirar habilitação para dirigir, votar e até se candidatarem a cargos públicos. O cúmulo.
Olha o caso dos chineses e coreanos, só pra citar dois exemplos. Eles vêm a rodo pra cá e abrem aqueles restaurantes fétidos, cozinham no mesmo local onde o cachorro dorme, literalmente, e infestam o centro de nossas cidades. Não sei o que é pior, se é o fato das precárias condições de higiene do lugar e mal falarem uma ou duas palavras de Português ou se é o fato de enriquecerem às custas da ignorância do nosso povo, que come qualquer coisa.
Xenófobo, eu? Não. Só não concordo com essa festa com que o Brasil admite qualquer um. Deveria haver um melhor controle sobre quem cruza nossas fronteiras e, no mínimo, possuírem algum bem (US$100 mil, no mínimo) para começarem a cogitar a possibilidade de solicitar um visto de permanência.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Detalhes 2

Forever

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Blá blá blá

“Querido diário, hoje eu dei a bunda pela primeira vez...”.
Eu ri muito quando li o mail que um amigo me mandou no começo do ano passado quando soube que estava escrevendo este blog por achar que se tratava de uma viadagem do tipo “diário”.
Falando nele, “piá, precisamos secar umas beras!”
De fato, este blog não é do tipo “querido diário”, mas não posso negar que a semana passada me reservou algumas ótimas surpresas (diferentes, porém iguais em sua essência – e na “essência do ser”) que me fizeram ter novas perspectivas.
Quais foram? Talvez eu conte algum dia, quando (e se) resolver escrever um livro de memórias.

Mudando de assunto, recomeçaram as aulas da facu e estou super empolgado, ao mesmo tempo em que estou preocupado. Já está me cansando o fato de ter que partir para a “guerra” no início de cada semestre para (re)conquistarmos nossos direitos como alunos e isso só me faz pensar seriamente em mudar de instituição.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Detalhes


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Insetos

[Pernilongo]

[Marimbondo]

Pirando o cabeção num domingo à noite. ;)
(Em "off": Ao observar e fotografar estes dois espécimes lembrei das aulas da profª Sosô)

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Tankard

Foda-se o Carnaval.

Eu quero é Rock´n´Roll

"We need another fuckin´ beer!"

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Carnaval

video

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Te Quiero, Puta!

Estou sofrendo de um caso crônico de amor para com o meu Blog, ainda mais depois que alguns amigos e chegados disseram que está um tesão (alguns com essa palavra, outros não exatamente desde jeito, mas com o mesmo sentido), então nada como uma musiquinha animada pra fechar o post.

Hey amigos...

Adelante amigos...
Vamos, vamos, mi amor
Me gusta mucho tu sabor
No no no no tu corazón
Mucho mucho tu limón
Dame de tu fruta
Vamos mi amor...
Te quiero, puta!
Te quiero, puta!
Ay que rico

Ay que rico un, dos, tres

Sí te deseo otra vez
Pero no no no tu corazón
Más más más de tu limón
Querido
Dame de tu fruta
Dame de tu fruta
Vamos mi amor...
Te quiero puta!
Te quiero puta!
Ay que rico

Entre tus piernas voy a llorar

Feliz y triste voy a estar
Feliz y triste voy a estar

Más más más por favor,

Más más más sí sí señor
Más más más por favor,
Más más más sí sí señor
No me tengas miedo
No te voy a comer
Más más más por favor,
Más más más sí sí señor
Sí sí señor

Te quiero puta!

Te quiero puta!
Dámelo dámelo
Te quiero puta!

[Te quiero puta! – Rammstein]

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Água

Meu tênis está molhado,
O pé encharcado.
Meu cérebro embolorado
E eu desanimado.
Pelo menos na hora que estiver em trânsito, será que dá pra parar de chover um pouco?

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Grim

Aaarrrrggggghhhhhh!!!!!


Buuuu!!!!!
Pirando o cabeção no FDS

Breakthru

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Gostosa

O título do post é o que diriam os adeptos do “chucrismo”, peões de construção civil ou algum espécime do sexo masculino sem um pingo de tato (“Gostosa!” não é maneira de se dirigir a uma mulher, pelo menos não antes de ter um mínimo de intimidade, mas aí são outros 500) e a intenção foi chamar a atenção, pura e simples.
Pessoas de diversas etnias e das mais variadas classes sociais, culturais e econômicas andam de ônibus diariamente. Ok, ok, “das mais variadas classes econômicas” é meio difícil. Dentro de um “coletivo” é possível distinguir diversos fenótipos diferentes, tanto aquelas cujo genótipo foi generoso (do ponto de vista físico – ou seja, com uma bela “embalagem”) quanto aquelas que foi lastimável. Felizmente há um equilíbrio estratégico entre os dois.
Notei a presença de uma bela mulher num desses “passeios” de “busão”. Lá estava, toda imponente, sobre um salto alto, um jeans apertado que modelava pernas e quadris e uma blusa não muito decotada. Não havia como não reparar. Era quase impossível deixar de olhar. E “um nariz tão empinado que chegava a bater na testa”, como diria uma avó de coração.
O engraçado é que, apesar de possuir um corpo escultural, não foi exatamente ele que chamou minha atenção, mas sim a fisionomia da moça. O conjunto era fantástico, olhos, sobrancelhas, nariz, boca. Era tudo harmonioso. Independente de qual maneira vc chama o seu Deus, definitivamente aquela era uma prova viva de que Ele existe.
Antes de prosseguir com o assunto e antes que alguém diga que eu estava deliberadamente “secando” a moça, digo em minha defesa que já foram feitos estudos acerca dessa necessidade de ficarmos olhando para pessoas que achamos bonitas por liberar uma substância no cérebro que nos dá a sensação de prazer e por isso ser praticamente impossível deixar de olhar.
Continuando, quando me dei conta de que não conseguia deixar de olhar para ela, comecei a me colocar em seu lugar. Deve ser uma merda ser o centro das atenções masculinas, de uma forma geral, e ser tratada feito idiota por ter um belo corpo. Creio que pelo menos 95% dos homens a tratam como mero objeto e não dão valor algum ao conteúdo do todo.
Dei-me conta disso ao lembrar da tentativa frustrada de diálogo com uma guria da faculdade que se enquadrava basicamente nos mesmos atributos físicos da moça do ônibus, exceto pelo salto alto e pelo jeans apertado. De qualquer forma, o curso que ela fazia a obrigava a ter algo dentro da cabeça, não ser apenas uma bela embalagem e foi isso que me chamou a atenção nela. Não deu para estabelecer um canal de comunicação com a guria da facu por ela ter sido excessivamente esnobe e isso é culpa nossa, dos homens. Ou melhor, a culpa é daqueles 95% de "retardados".
Claro que existem exceções, mas se deixássemos de sermos um bando de macacos no cio, apenas por um momento, talvez fosse possível reverter este quadro.
Infelizmente, para mim, a guria me enquadrou na regra ao invés da exceção.
No final das contas quem saiu perdendo foi ela, que, por ter generalizado, perdeu uma ótima oportunidade de conhecer alguém legal.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Golpe!


Desde quando aconteceram, os “atentados” já haviam chamado minha atenção para a suspeita de que algo devia estar muito errado e, ao assistir a este fantástico documentário (“Loose Change 11/09 – An American Coup” ou “Um Golpe Americano”), tive a certeza de que não estou só nessa “empreitada”.
Pode parecer coisa de louco, mas é algo para se pensar.
Torrent e Legenda disponíveis para download aqui.

Saindo um pouco da realidade e embarcando no mundo da ficção, um filme ótimo (estrelado por Mel Gibson e Julia Roberts) e que também nos faz refletir acerca do assunto é “Teoria da Conspiração”. Este filme não tem nada a ver com o documentário acima mencionado e nem com os “atentados” de 11/09, mas é um convite a pensar.
Lembrem-se: toda brincadeira tem um fundo de verdade, assim como toda obra de ficção tem uma pincelada de realidade.